lições do chefe secreto

Eu estava assistindo nesse domingo no Fantástico a série O chefe secreto. Essa série, na verdade, é uma versão brasileira da original Under Cover Boss. O objetivo da série é levar executivos de grandes empresas para ter experiências trabalhando sob disfarce nas suas próprias empresas para investigar como suas empresas realmente funcionam e também para investigar como eles podem melhorá-las.

lições do chefe secreto - não faça hipóteses

Não faça hipóteses

O grande aprendizado que tenho por essa série é muito simples: não faça hipóteses.

Muitas vezes nos pegamos no grande erro de assumir que nossos clientes estão satisfeitos com nossos produtos/serviços, ou que nossa empresa está realmente defendendo a nossa visão, ou que nossos clientes são determinados tipos de pessoas, ou que estão dispostos a pagar por um certo tipo de valor.

Resumindo: muitas hipóteses, nenhuma comprovação.

Através dessa série é bem fácil de entender a distância da realidade e a hipótese.

Os grandes executivos assumem a hipótese de resolver um problema e tudo é resolvido dentro de um escritório e ponto está feito. Por exemplo, nesse domingo o executivo assumiu que os trabalhadores que limpam a parte externa da empresa deveriam fazer o treinamento de segurança do trabalho para se prepararem para o seu trabalho.

Hipótese: treinamento de segurança para a limpeza externa com a simulação de algumas dificuldades em que os funcionários passariam, por exemplo, treinamento a uma altura de 3 metros do chão para a limpeza.

Realidade: limpeza de um prédio com 13 metros de altura.

O executivo ao se deparar com a altura de 13 metros ficou abismado de como a simulação de 3 metros de altura estava longe de simular a altura de 13 metros. Ele mesmo não conseguiu fazer a limpeza, pois o nível de dificuldade é imensa.

Depois de constatar essa dificuldade, o executivo afirmou que iria resolver o problema e iria oferecer um programa de treinamento mais realístico.

O ponto aqui é muito simples: existe um abismo entre uma hipótese e a sua realidade. E essa realidade é somente vista de verdade entrando dentro da realidade.

O que eu quero dizer é:

ideias fechadas de dentro de um escritório são hipóteses. Ideias reais são validadas na realidade.

lições do chefe secreto - não é uma ideia nova

Não é uma ideia nova

Mas tudo isso não é nada novo. Existem duas metodologias que já falam sobre isso há algum tempo: a metodologia start-up e a metodologia design thinking.

A start-up

Hoje fala-se muito em startup, mas o que é realmente a start-up, você sabe? A start-up não é uma pequena empresa como muitas pessoas acreditam. A start-up é uma metodologia de desenvolvimento de novos negócios. Por exemplo, vamos imaginar que você tem uma ótima de negócios, ela é incrível, ela vai dar certo e você vai se dar bem com ela. Dai, para executar essa ideia você pode começar de uma forma tradicional ou de uma forma start-up.

Como é feito tradicionalmente: eu tenho uma ideia muito boa, vou abrir um negócio. Vou pegar um financiamento, vou estimar o tanto que eu consigo vender, vou estimar o tanto de clientes que existem por ai, dai peço um financiamento par ao BNDS e abro meu negócio. Depois que abrir meu negócio, vou ficar na esperança de alguém achar que minha ideia é boa e vou esperar que paguem por ela.

Como é feito pela start-up: eu tenho uma ideia muito boa. Vou encontrar um cliente que pagaria por ela e vou conversar com ele. Vou entender se ele realmente pagaria por ela e se ela realmente ajuda meu cliente, e vou fechar o negócio. Quando o dinheiro entrar, é porque estou tendo um negócio. Então, vou procurar mais pessoas como esse cliente. Ai sim, com ideias que realmente vendem, eu vou abrir o meu negócio.

Ou seja, a metodologia start-up faz o que a série está fazendo. Ela te leva em encontro com os clientes reais e te faz encontrar clientes que pagariam pela sua ideia. Ela traz a realidade para você, antes que você decida abrir um negócio.

Todas as ideias de negócios são boas. Fato.

Mas nem todas vão ter pessoas dispostas a pagar por elas. Através da metodologia start-up, você comprova o quão real é a sua ideia, o quão valiosa ela realmente é, antes de investir seu dinheiro para poder abrir literalmente seu negócio. Ou seja, ela te ajuda a minimizar seu investimento inicial bem como o seu risco.

Essa metodologia nasceu no Vale do Silício, Califórnia, berço do empreendedorismo moderno. Se quiser ir um pouco a fundo no assunto, veja as grandes referências:

O design thinking

A metodologia start-up é aplicada para o desenvolvimento de novos negócios e, principalmente, para ideias que não existem, são inovadoras e de alta tecnologia. Mas isso não impede que você possa aplicar seus princípios para começar com segurança e baixo investimento o seu negócio.

A metodologia design thinking segue na mesma linha da start-up com um diferencial, ela pode ser aplicada para a resolução de qualquer tipo de problema. Seja a criação de um novo negócio, novos produtos... qualquer problema mesmo.

E, da mesma forma da metodologia start-up, ela vai de encontro com a realidade. Ela coloca os "resolvedores de problemas" face a face com o problema real. É preciso ir cara a cara com as pessoas para poder realmente dizer o que é o problema e qual a causa do problema, para só depois poder se definir uma solução real e verdadeira.

Traduzindo o que seria um design thinking, eu diria que é um pensamento desenhado. Os designers são comumente conhecido como pessoas da arte, aqueles que fazem logo e ilustrações... Mas dentro do mundo dos negócios, é dito que os designers, ou desenhadores, são pessoas que usam a arte para desenvolver novas ideias. Essas pessoas desenham soluções.

Se quiser ir a fundo nesse assunto, veja essas grandes referências:

lições do chefe secreto - a conclusão se você vai começar um novo negócio ou ideia

Conclusão

Ideias são sempre boas. Mas a sua ideia não vale nada até que você tenha clientes, até que alguém pague por ela de verdade.

E a melhor forma de saber se realmente a sua ideia de negócio é boa de verdade é tendo um contato direto com seu cliente, conversando e questionando. Ai sim, você terá a certeza de um caminho certo.

Não faça hipóteses, não assuma que a sua ideia é a melhor do mundo e todo mundo vai estar disposto a pagar por ela.

Você só tem um negócio a partir do instante, nem um segundo antes nem um depois, em que alguém paga por ela. E somente pessoas reais podem pagar de verdade por sua ideia.

Vá de encontro com as pessoas reais. Entenda o que elas buscam, qual é o real problemas que elas têm, o que elas realmente estão dispostas a pagar.

Esse é o primeiro passo para o negócio de sucesso, fazer negócios com pessoas de verdade e resolvendo problemas e dores de verdade.


Carolina Tomazetti
Carolina Tomazetti

A Brigadeirsa é o destino Número #1 das doces aspirantes e empreendedoras que estão procurando ter sucesso vendendo doces. BRIGADEIRO. BOM DE COMER. BOM DE FAZER. BOM DE LUCRAR. O melhor brigadeiro do mundo para pessoas que buscam adoçar o caminho em direção a vida que sempre sonharam.